Pular para o conteúdo principal

Instalando o Visual Studio 2017 Community Edition em uma máquina de baixo desempenho

Introdução

A Microsoft liberou recentemente o download do instalador do Visual Studio 2017 Release Candidate. Isto significa que não haverá alterações significativas quanto aos recursos que serão disponibilizados na versão definitiva em relação a este download. Assim, para aqueles que ainda não começaram a testar o produto e pretendem adotá-lo é uma boa hora de começar a experimentar os recursos desta que é a principal ferramenta para desenvolvimento de aplicações para as plataformas da Microsoft: desktop, web, Azure (Cloud) e agora inclui ainda ferramentas para o IOS e Android via Xamarin.

Disponibilizei neste post os principais links para atualizar-se com relação ao que há de novo nesta versão do Visual Studio e do Framework .net. O foco deste post será descrever como é a experiência de instalar a ferramenta em uma máquina de baixa capacidade de processamento e quais alguns aspectos importantes desta instalação.

Configurações usadas

A instalação foi feita em um notebook DELL core 2 Duo com 3GB de memória executando a versão de 32 bits do Windows 8.1. É uma máquina que uso em casa para tarefas básicas como produção de documentos com o Office, acesso a internet, e-mails etc. Eventualmente uso para alguns testes com o SQL Server e códigos com o o framework .Net.

Inicialmente fiz o download do instalador e a principal observação é que não existe, pelo menos até a versão RC um download completo dos arquivos de instalação, ou uma imagem ISO como estamos acostumados.

Se desejar fazer a instalação usando um instalador offline é necessário baixar o instalador e via prompt de comando, passar alguns parâmetros para que seja feito o download dos arquivos que possibilitarão a instalação off line.

Links

A instalação

O primeiro passo após realizar o download do instalador é abrir um prompt de comando e executar o instalador passando parâmetros para que este realize os downloads necessários. No exemplo abaixo, é realizado o download da versão em inglês:


vs_enterprise.exe --layout C:\vs2017 --lang en-US

O parâmetro --layout serve para indicar uma pasta de destino para os arquivos a serem baixados e o parâmetro --lang serve para indicar a linguagem. Na seção de links há um caminho para a página com todos os parâmetros disponíveis.

Concluído o download que na versão community consiste de quase 15GB, é hora de abrir a pasta e executar o instalador. A primeira diferença é que a seleção dos recursos a serem instalados mudou muito com relação as versões anteriores do instalador. As categorias estão mais claras e fáceis de identificar, principalmente porque o instalador está em português do Brasil. Se você não vai desenvolver com C++, por exemplo, pode simplesmente desmarcar esta categoria assim como outras existentes.

Assim como nas versões anteriores é possível alterar outros dados como a pasta de instalação e também conferir o tamanho que a instalação irá consumir no disco rígido.

Na aba Componentes individuais se pode selecionar recursos de forma mais avançada. Nesta aba você pode escolher quais versões do Framework .Net deseja deixar de instalar ou ainda, selecionar se vai usar determinada linguagem para seu desenvolvimento.

Por fim, na aba Pacote de idiomas são exibidas caixas de seleção para as linguagens disponíveis para a interface do usuário da IDE após instaladas.

Terminada a seleção dos parâmetros, ao clicar em instalar, é executada a instalação dos componentes selecionados como é exibido na imagem a seguir. No meu computador esta operação levou mais de duas horas devido, ao que acredito, sua baixa capacidade de processamento, porém, a instalação correu normalmente e após o término, a execução do Visual Studio foi tranquila sem problemas.

Considerações

A primeira execução requer um login em uma conta da Microsoft, coisa que já vinha acontecendo em versões anteriores. Porém, isto pode ser deixado para outras execuções caso o usuário não queira realizar este login. A vantagem é que ao realizar este login o Visual Studio sincroniza suas configurações existentes e que estavam sendo usadas nas versões anteriores inclusive a 2015.

A Microsoft informa que houve melhorias significativas de desempenho da ferramenta tanto na carga do Visual Studio como das soluções. Não pude sentir melhoras significativas, talvez devido ao fato da minha máquina ter baixo desempenho e não dispor de um disco SD, algo que certamente melhora em muito o desempenho.

Para desenvolvedores que estão começando com o Visual Studio ou para projetos pequenos, a Communit Edition é uma boa forma de experimentar a ferramenta sem ter de recorrer à pirataria ou ter de ficar renovando a licença de avaliação. Os seus recursos devem atender a maioria das necessidades dos desenvolvedores que queiram simplesmente criar código e executar testes simples. Infelizmente, caso se queira uma execução de testes mais avançada com integração com o TFS e execuções automatizadas será necessário recorrer às versões mais completas.

Por fim, as novidades tanto do Visual Studio como no Framework .Net e no C# justificam avaliar esta ferramenta que vem se consolidando como uma das melhores escolhas para desenvolvimento para as plataformas suportadas pela Microsoft e que agora, começam a ampliar o leque para outras como o IOS, Android e Linux. Bons estudos!


Postagens mais visitadas deste blog

Como gerar scripts para exportar dados no SQL Server 2008

Uma das tarefas mais comuns no trabalho com desenvolvimento de software que consome dados em bancos como o SQL Server 2008 é a necessidade de em algum momento precisarmos exportar os dados de um banco para outro. Quer seja para realizar testes ou fazer simulações existem várias maneiras de se fazer isto. Neste post eu quero demonstrar um recurso do SQL Server Management Studio (SSMS) que permite realizar esta tarefa rapidamente.Para os que estão acostumados a usar esta ferramenta, já devem saber que é possível gerar scripts para o schema e também transferir os dados entre dois bancos distintos. Isto pode ser feito se o SSMS puder conectar-se com as duas bases, de origem e destino. No exemplo que vou dar, o objetivo é gerar o script apenas para uma tabela do banco de dados de exemplo da Microsoft – Northwind.1. Iniciando o assistenteO assistente deve ser iniciado clicando com o botão direito do mouse sobre o banco onde se encontra a tabela a qual iremos gerar o script. Deve se clicar n…

Pivot dinâmico com SQL Server

Passo a passo para usar pivoteamento dinâmicoOs bancos de dados bem configurados e definidos armazenam os dados de forma a otimizar o acesso, evitando duplicidade e garantindo a integridade. Porém, em muitas situações isto pode dificultar a apresentação de forma adequada sendo necessário preparar os dados usando vários recursos entre os quais, fazer o pivoteamento.Se você não precisou ainda usar ou não sabe o que é consiste em transformar cada linha de uma determinada coluna em colunas de uma nova consulta.Assim, considere uma tabela que armazene as notas bimestrais de um boletim. Uma possível estrutura para esta tabela seria algo assim:ColunaTipo de dado/TamanhoDisciplinanvarchar(50)BimestreIntNotanumeric(5,2)Uma consulta select nesta tabela com alguns dados traria um resultado parecido com o abaixo:Porém pode ser que para apresentar estes dados em um relatório seja necessário transformar cada bimestre em uma coluna e agrupar as notas nestas colunas para que fique dessa forma:Isto po…

Como remover espaços e quebra de linha de documentos XML

A dica de hoje (após um longo e tenebroso inverno, que a propósito continua aqui no Paraná) nasceu de um incêndio que precisou ser apagado nos projetos da vida com prazo de entrega pra “ontem”… mas, vamos a parte divertida.No Framework .NET a geração de documentos XML é facilitada de várias formas. Vamos partir do código abaixo para gerar um documento simples usando apenas System.Xml.var xmlDoc = new XmlDocument();
XmlElement raiz = xmlDoc.CreateElement("artigo");
XmlElement Id = xmlDoc.CreateElement("id");
Id.InnerText = "08072011";
XmlElement Titulo = xmlDoc.CreateElement("titulo");
Titulo.InnerText = "Como remover espaços e quebra de linha de documentos XML";
XmlElement Vazio = xmlDoc.CreateElement("vazio");
Vazio.InnerText = String.Empty;
raiz.AppendChild(Id);
raiz.AppendChild(Titulo);
raiz.AppendChild(Vazio);
xmlDoc.AppendChild(raiz);
xmlDoc.Save(@"d:\teste.xml");

O código acima gera o arquivo “teste.xml” que ao ser visuali…